domingo, novembro 02, 2008

Remunerados e Profissionais

Artigo publicado no site www.gremiosempre.com.br

02.11.08
Remunerados e Profissionais


O Grêmio sempre teve profissionais a serviço.

Para mencionar os principais: no futebol, um supervisor, Verardi, médicos e outros.

Na contabilidade, no marketing, no jurídico, nos sorteios, nas lojinhas etc. Uma folha de profissionais girando em torno de 150 a 300 empregados. ( 313 segundo o CP de hoje)

Mais recentemente, com a nova concepção de gestão estratégica, ganhou corpo a idéia de executivos profissionais para todas as áreas organizadas como "unidades de negócio".



Dois exemplos da tradição: o eterno Verardi não dava declarações à imprensa, não criticava nem elogiava dirigentes, passasse quem passasse pela presidência e pela vice-presidência de futebol, lá estava Antônio Carlos Ricci Verardi como fiel servidor do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. Nunca foi servidor de dirigentes. Nas poucas eleições com mais de uma chapa, Verardi não votava, para simbolizar que, no Grêmio, não tinha partido.

Clécio, o motorista da presidência, transferido o comando, era mudo quanto a qualquer episódio tivesse assistido no passado.

Puros exemplos de profissionalismo.



Algo mudou. Alguns remunerados estão tomando partido, elogiando dirigentes, seus chefes, omitindo fatos relevantes do que resulta o falseamento da verdade histórica, usando próprios do Clube para apoiar chapa e atuando para atrapalhar a contrária.

Pretendemos debater tal comportamento. Pelo menos, iniciar o debate.

Nada melhor do que um exemplo, caso concreto. Entrevista dada pelo gerente de planejamento Cristiano Koehler ao jornal Jornal Gazeta do Sul, de Santa Cruz do Sul, publicado na edição de 16 de Fevereiro de 2008, reproduzida pelo www.gremio1983.blogspot.com, em 19 de julho de 2008:

Disse Cristiano:

Cristiano Koehler – Diante de um modelo de gestão ultrapassado de uma dívida expressiva e da transformação do futebol enquanto negócio a reformulação era indispensável vital. O Grêmio entendeu que a melhor forma de avançar para o futuro com vitórias e com vantagem competitiva num mercado de concorrência implacável utilizando as potencialidades do clube seria mediante a mudança de mentalidade e a estruturação de um novo modelo gestão. Nesse sentido houve alteração estatutária com a formatação de um Conselho de Administração – presidente e vices-presidentes – eleito e uma Diretoria Executiva profissional contradada – nas áreas de Futebol Planejamento e Controle Administrativa Financeira Marketing e Jurídica – além da concepção de um Planejamento Estratégico com objetivos e estratégias sustentado por um Sistema de Gestão pela Qualidade Total e por ferramentas modernas de gestão.

Com a adoção de um sistema moderno de gestão o Grêmio tem mais alternativas para superar as dificuldades financeiras e com isso investir no futebol e obter melhores resultados de campo compatibilizando performance técnica e caixa equilibrado.
A implementação do atual plano de gestão teve o respaldo principalmente do presidente Paulo Odone e dos vices-presidentes membros do Conselho de Administração. É importante salientar que o processo está em curso no qual a palavra-chave é continuidade.

Destaque 01:

Nesse sentido houve alteração estatutária com a formatação de um Conselho de Administração – presidente e vices-presidentes – eleito e uma Diretoria Executiva profissional contradada – nas áreas de Futebol Planejamento e Controle Administrativa Financeira Marketing e Jurídica – além da concepção de um Planejamento Estratégico com objetivos e estratégias sustentado por um Sistema de Gestão pela Qualidade Total e por ferramentas modernas de gestão.

Será que o gerente da área - presumivelmente um especialista - confunde mesmo a ordem cronológica e a relação de causa e efeito?

Ordem cronológica:

1. Tudo começou com um Planejamento Estratégico com objetivos e estratégias sustentado por um Sistema de Gestão pela Qualidade Total e por ferramentas modernas de gestão.

Esse trabalho foi realizado nos anos de 2003/2004, com o Plano Estratégico aprovado pelo Conselho Deliberativo em 10 de Setembro de 2004, fatos fundamentais sequer mencionados na entrevista.

2. Já aprovado o Plano Estratégico, no final de 2004 procedeu-se a uma reforma estatutária, convocada pelo então Presidente do CD, Mauro Knijnik, na qual foi: a) introduzida a obrigatoriedade do Planejamento Estratégico; b) definida a competência do Conselho Deliberativo para aprovar o Plano Estratégico; c) criada a Comissão de Acompanhamento do Planejamento Estratégico; d) definida a obrigatoriedade de uma gestão profissional.

Causa e efeito: óbviamente a fonte de tudo foi o Planejamento Estratégico, que é global, amplo, continente, dele resultando, como efeitos, como conseqüências asseguradores de continuidade, as normas incluídas no estatuto do Clube.

Ressalte-se, ademais, que o Plano Estratégico elaborado em 2003/2004, com alcance até 2008, foi classificado pelo consultor Claus Süffert como consistente, de qualidade acima da média.

Destaque 02:

A implementação do atual plano de gestão teve o respaldo principalmente do presidente Paulo Odone e dos vices-presidentes membros do Conselho de Administração. É importante salientar que o processo está em curso no qual a palavra-chave é continuidade.

Todos lembram que na campanha eleitoral, Paulo Odone desfez o Planejamento Estratégico chamando de os "quadradinhos do Preis".

Tendo assumido a Presidência, levou alguns meses até ser convencido ou se convencer da importância do Planejamento.

Justiça se faça, também, que, em momentos posteriores, perante o Conselho Deliberativo, Paulo Odone declarou essa importância, disse entre outras afirmativas que entregaria as chaves do Clube se o Conselho não apoiasse levar o Planejamento Estratégico às últimas conseqüências, que os "quadradinhos" salvaram o Grêmio e que o Projeto Arena já estava no Plano Estratégico.

Nessas contramarchas e marchas, reconhece-se, a postura do Presidente de adesão à idéia foi fundamental para que parassem ou, pelo menos, diminuissem as contestações obscurantistas e reacionárias.

Mas não é a posição do Presidente que se está a examinar. A menção serve, apenas, como subsídio à análise ora proposta.

Nesse cenário de cronologia, de relação de causa e efeito, é lícito a um profissional fazer de conta que nada aconteceu antes de Paulo Odone e atribuir ao Presidente do momento o início da criação? Como se, na lembrança bíblica, "no princípio era o caos , só trevas, escuridão, e, aí, fez-se a luz"? No mínimo, há uma omissão inaceitável quanto a todo o trabalho realizado nos anos de 2003/2004, princípio, fonte de tudo o que aconteceu na área de gestão. Mais inaceitável, ainda, porque foi um trabalho institucional, aberto a todas as correntes políticas do Clube, com ampla e numerosa participação de profissionais , conselheiros e associados. Só não participou quem não quis e só um único isolado voto não foi a favor.

Com a consolidação crescente dos executivos profissionais - a expressão "diretoria" está banida por razões legais - ganha importância decisiva o aprendizado da distinção entre o simplesmente remunerado, servidor de uma gestão ou de uma pessoa, e o profissional, a serviço do Clube, sem chapas, sem partidos.


Somente com PROFISSIONAIS, o Grêmio obterá continuidade de gestão e alcançará a estabilidade indispensável.



Adalberto Preis

8 comentários:

cometário do gremioacimadetudo disse...

Hi parece que tem um blog ai se fazendo crer que é democrata mas os comentárista tem tudo a mesma linguagem.
Será que os noviços inventaram um blog para bater desde já depois que foram apanhados com a incoerencia de ser oposição ainda sendo poder.
Dessa gente podemo esperar tudo

Novembro 01, 2008
Anônimo Mauricio Politto disse...

No último balanço apresentado dentro do tempo, os auditores independentes dizem lá no parágrafo 10
"As demonstrações financeiras apresentadas em 31/12/2007 foram elaboradas no pressuposto da continuidade normal dos negócios do Grêmio, apois a Administração acredita que a continuidade da modernização do modelo administrativo e a adoção da filosofia do planejamento estratégico com o envolvimento de todas as áreas de atividade, conduzirão o Grêmio para a equação de seus problemas e a plena continuidade de suas atividades."

Que beleza diria o Obino hehehehe, mas perguntar não ofende, QUER DIZER QUE OS QUADRADINHOS DO PRAIS É QUE ESTÃO DANDO CONTINUIDADE E RESOLVENDO OS PROBLEMAS DA ADMINISTRAÇÃO DO GRÊMIO. HEHEHEHEHE
Tem um conselheiro, novato, que tinha um movimento que enganou a todos e depois usou nome do movimento pra se eleger ele somente na última eleição do conselho, que ao ler isso vai dar dor de barriga.
Chamava o Obino de Ovino, tem uma raiva do Prais, mas é aquela história, nada como um dia após o outro. hehehehehehehehehehehe
Eles pensam que enganam mas tem gente que sabe muito e eles não gostam de escutar as verdades.

Novembro 01, 2008

reinaldo disse...

No último balanço apresentado dentro do tempo, os auditores independentes dizem lá no parágrafo 10
"As demonstrações financeiras apresentadas em 31/12/2007 foram elaboradas no pressuposto da continuidade normal dos negócios do Grêmio, apois a Administração acredita que a continuidade da modernização do modelo administrativo e a adoção da filosofia do planejamento estratégico com o envolvimento de todas as áreas de atividade, conduzirão o Grêmio para a equação de seus problemas e a plena continuidade de suas atividades."

Que beleza diria o Obino hehehehe, mas perguntar não ofende, QUER DIZER QUE OS QUADRADINHOS DO PRAIS É QUE ESTÃO DANDO CONTINUIDADE E RESOLVENDO OS PROBLEMAS DA ADMINISTRAÇÃO DO GRÊMIO. HEHEHEHEHE
Tem um conselheiro, novato, que tinha um movimento que enganou a todos e depois usou nome do movimento pra se eleger ele somente na última eleição do conselho, que ao ler isso vai dar dor de barriga.
Chamava o Obino de Ovino, tem uma raiva do Prais, mas é aquela história, nada como um dia após o outro. hehehehehehehehehehehe
Eles pensam que enganam mas tem gente que sabe muito e eles não gostam de escutar as verdades.

Novembro 01, 2008
Anônimo Reinaldo C. disse...

Fonte:CP domingo 02/11/2008 Hiltor Mombach

FOLHA I

Quando do processo eleitoral, Paulo Odone afirmou que gostaria de ver Ricardo Vontobel na presidência porque ele, Vontobel, como empresário, conseguiria enxugar o quadro de funcionários do Grêmio, diminuindo a folha de pagamento. A folha atinge hoje R$ 845.744,00, já contabilizados os R$ 169.744,00 com os encargos sociais. Ao todo, são 318 funcionários.

FOLHA II

Em 2005, o Grêmio contava com 256 funcionários e gastava R$ 506 mil com a folha mensal. No ano passado, eram 313 funcionários para uma folha de R$ 724 mil. O setor com maior número de pessoas é a categoria de base, 58. Dias atrás, o vice de finanças, Túlio Macedo, disse-me considerar muito alto o gasto e vê, como única solução, a construção da arena.


O macaco só quer entender?
Quer dizer que o Odone queria o Vontobel, porque ele teria coragem de demitir funcionários?
Para que demitir se vão construir a Arena?
Mas as categorias de base não são a salvação do clube?
Porque 58 funcionários nas categorias de base?
Que eu saiba quem deixou o Grêmio com este número de 256 funcionários foi o Obino. Até isso eles sonegam;
Quer dizer que a tal administração moderna é contratar funcionários a penca.
Por isso Túlio disse que o déficit mensal é de 600 mil e como vao cobrir este resultado.
Notícia boazinha para dia de finados.

Novembro 01, 2008

Anônimo disse...

"Dale Fachin, Dale Obino,"

HAHAHAHA! FAZ-ME RIR!

Outubro 31, 2008
Anônimo Manfredo Nietz disse...

FUI EXPULSO DA TAL COMUNIDADE ARENA
Entrei na comunidade arena.
Quero dizer que sou a favor da arna.
Entrei numa tal de petição e fiz um comentário dizendo que o cemitério está cheio de insubstituíveis. Que manda quem ganhou a eleição.
Um tal de Glênio respondeu educadamente dizendo que o objetivo da comunidade era outro.
Daí postei outro comentário dizendo que estava em dúvida sobre assinar a tal petitionline. Perguntei quem tinha redigido.
Aí, hoje, pra surpresa (será?) tive a notícia de que FUI EXPULSO DA COMUNIDADE.
Estão a ver que é uma comunidade de fanáticos, de pensamento único que não admitem nem um perguntinha respeitosa.
Mais: ele alardeiam que tem um número x de adeptos, mas é só uma meia dúzia de puxa-sacos que participa com propósito bem definido.
Querem saber de uma coisa: a essa altura me sinto homenageado em ter sido expulso. Minha turma é outra...

Outubro 31, 2008

blackao disse...

O neoliberalismo fracassado no mundo inteiro em função de privilegiar um modelo de negócio no qual o fator humano é relegado a um plano bem abaixo da superficial relação entre causa e efeito do pensamento contabilista da receita x despesa está representado na atual gestão pela figura de Cristiano Koehler.

Nada contra a pessoa dele mas, sim, contra o fato de que ele pertencia ao MGN, cujo estatuto parece ainda não permitir que integrantes do Movimento sejam remunerados pelo clube.

Ele, um jovem executivo de sucesso, realizou a manobra de sair do MGN para tornar-se funcionário do GRÊMIO.

O modelo neoliberal privilegia contratações em excesso para setores que não precisam de muita gente para decidir e agir, ao passo que costuma torrar verdadeiras fortunas em consultorias, auditorias e serviços terceirizados com um custo pelo menos três vezes mais alto do que o dos encargos sociais destinados a especialistas não-mercenários, isto é, que são meramente pagos para realizar uma tarefa sem fazer parte da cultura e da história do contratante.

Digamos que, segundo esse modelo, ele seja bastante competente. Mas a quem interessa que esse modelo de administração permaneça mantendo um déficit mensal na folha de pagamento bem mais alto do que em gestões anteriores?!

[]'s,
Hélio

Alexandre Aguiar disse...

Já tive oportunidade de manifestar publicamente minha contrariedade às afirmações de que o processo de modernização do clube teria iniciado apenas na atual gestão em desrespeito às apontadas relações de causa e efeito. Reitero minha contrariedade agora. A modernização do clube foi uma construção operacional e institucional prévia à gestão atual com participação de gremistas das mais variadas correntes. O antes e depois, assim, não tem como ponto de referência o ano de 2005.

Anônimo disse...

Como o Preis não disse, até por sua elegância eu digo, o único que votou contra os "quadradinhos do Preis" foi o candidato de situação Vicente Martins.

dom messias disse...

Acho salutar a existência do contraditório em qualquer situação. No momento atual do Gremio, as partes em litígio procuram minimizar e até desmerecer as gestões que não afinam com seu discurso. Esquecem da grandiosa contribuição que emprestaram ao clube dirigentes como Vanzelotti, Kroeff, Rudi Petri, Dourado e, mais recentemente, Paulo Odone, que teve a coragem e a ousadia que faltou a alguns de seus pares: pegou um Gremio quebrado e sem rumo e o colocou nos trilhos. Lógico que não fez tudo sozinho. Estavam e estão ao seu lado gremistas tão ilustres e apaixonados pelo tricolor como os que estiveram e estão perfilados em outras correntes politicas dentro do clube. Portanto, não se pode desmerecer as oposições, ainda mais quando seu discurso consegue sensibilizar um expressivo número de associados. Faz muito bem ao jogo democrático a diversidade e o confronto de idéias. Benditas as oposições em qualquer tempo. Elas nos dão a certeza de que toda unanimidade é burra.

Beto disse...

QUEBRADO SIM. SEM RUMO, NÃO!
Isso é o que diz a própria administração do Grêmio, desde 2005, segundo postagem de Maurício Politto reproduzindo o que consta publicado nos balanços do Clube

Mauricio Politto disse...

No último balanço apresentado dentro do tempo, os auditores independentes dizem lá no parágrafo 10
"As demonstrações financeiras apresentadas em 31/12/2007 foram elaboradas no pressuposto da continuidade normal dos negócios do Grêmio, apois a Administração acredita que a continuidade da modernização do modelo administrativo e a adoção da filosofia do planejamento estratégico com o envolvimento de todas as áreas de atividade, conduzirão o Grêmio para a equação de seus problemas e a plena continuidade de suas atividades."

Que beleza diria o Obino hehehehe, mas perguntar não ofende, QUER DIZER QUE OS QUADRADINHOS DO PRAIS É QUE ESTÃO DANDO CONTINUIDADE E RESOLVENDO OS PROBLEMAS DA ADMINISTRAÇÃO DO GRÊMIO. HEHEHEHEHE
Tem um conselheiro, novato, que tinha um movimento que enganou a todos e depois usou nome do movimento pra se eleger ele somente na última eleição do conselho, que ao ler isso vai dar dor de barriga.
Chamava o Obino de Ovino, tem uma raiva do Prais, mas é aquela história, nada como um dia após o outro. hehehehehehehehehehehe
Eles pensam que enganam mas tem gente que sabe muito e eles não gostam de escutar as verdades.

Novembro 01, 2008